domingo, 11 de agosto de 2013

Tempos Modernos



Por Ananda Oliveira

Nome Original:  Modern Times
Ano:1936
Diretor: Charles Chaplin
Elenco:
Charles Chaplin .... Carlos
Paulette Goddard .... Gamine / Ellen Peterson
Henry Bergman .... proprietário do motel
Chester Conklin .... mecânico
Stanley J. Sandford (conhecido como Tiny Sandford) .... Big Bill
Hank Mann.... mendigo
Stanley Blystone .... pai da gamine
Al Ernest Garcia .... presidente da Electro Steel Corp. (creditado com Allan Garcia)
Julia Wolder .... irmã da garota orfã
Richard Alexander .... Companheiro de Cela
Cecil Reynolds .... Pastor
Mira McKinney .... Esposa do Pastor
Murdock MacQuarrie .... J. Widdecombe
Edward LeSaint .... Diretor Couler
Fred Malatesta .... Garçom
Wilfred Lucas .... Diretor Júnior

Sinopse: Um operário de uma linha de montagem, que testou uma "máquina revolucionária" para evitar a hora do almoço, é levado à loucura pela "monotonia frenética" do seu trabalho. Após um longo período em um sanatório ele fica curado de sua crise nervosa, mas desempregado. Ele deixa o hospital para começar sua nova vida. Simultaneamente, uma jovem rouba comida para salvar suas irmãs famintas, que ainda são bem garotas. Após a morte do pai, suas irmãs são levadas para um orfanato, mas a jovem consegue escapar.


Considerado um dos melhores filmes de todos os tempos é justificável ter levado três anos para ficar pronto. Tempos modernos, além de ser uma comédia deliciosa de se assistir, possui fortes críticas a sociedade americana da época e também à Revolução industrial. Isso pode ser observado no começo do filme, quando seres humanos são comparados a porcos.

O filme mostra que no início da Revolução Industrial, acreditava-se que o aumento da produção resultaria na igualdade social, mas, ao contrário, a abundância e as novas tecnologias ficaram restritas há poucos e só os mais ricos usufruíam dos seus benefícios.

O personagem de Chaplin é funcionário de uma fábrica. Nesse ambiente, bem como no filme todo, observamos que os únicos personagens que falam são os que possuem um certo poder, como o dono da fábrica e o dono de um restaurante, enquanto trabalhadores e outros cidadãos permanecem mudos. Pode-se logo observar que a maioria, necessitada, não possui o direito de se impor, já que não consegue nem falar.

Para a época o filme possui uma visão futurista, mostrando tecnologias, como a máquina que levou Chaplin a loucura. Tal máquina tem a função de agilizar o almoço dos funcionários para que esse tempo seja reduzido e a produção aumentada.

Em uma cena ousada para a época, mostra um traficante que, durante o almoço na cadeia, onde era procurado pelos inspetores de polícia, coloca o saleiro debaixo da mesa e muda o sal por cocaína. Chaplin, sem saber, ingere excessivamente no prato achando que é sal. O que mostra que o diretor não tinha medo de dar a cara a tapa.

Tempos Modernos seria o primeiro filme de Charles Chaplin que utilizaria inteiramente um sistema de som. Entretanto, pode-se ouvir apenas ruídos, quando vozes são ditas por avisos de máquinas. Esta mudança foi feita pelo próprio Chaplin, para tornar o som um símbolo da tecnologia e da desumanização no filme.

Apesar de toda a crítica, o filme tem uma mensagem de que não se deve desanimar ou desistir diante dos problemas encontrados pelo caminho. Sempre levante a cabeça e siga em frente.

Curiosidade

Apesar de ser um filme clássico e de grande importância para o cinema. Não recebeu nenhum reconhecimento através de prêmios.

0 comentários:

Postar um comentário

Siga por E-mail

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.