sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Um Corpo que Cai



Por Ananda Oliveira  

Nome Original: Vertigo
Ano: 1958
Diretor: Alfred Hitchcock
Elenco:
James Stewart .... Scootie
Kim Novak .... Madeleine Elster
Barbara Bel Geddes .... Marjorie Wood (Midge)
Tom Helmore .... detetive John Ferguson versão atual - antigo Gavin Elster
Henry Jones .... coronel
Raymond Bailey .... médico de Scottie
Ellen Corby .... gerente do McKittrick Hotel
Konstantin Shayne .... Pop Leibel

Sinopse: Scottie (James Stewart), um ex-detetive da polícia de São Francisco, se aposenta após um acidente derivado da vertigem por seu medo de altura, durante uma perseguição. Gavin Elster (Tom Helmore) contrata os serviços de Scottie para vigiar sua mulher, Madeleine (Kim Novak). Só que tudo se complica quando a situação se mostra infinitamente mais complexa do que parecia ser à primeira vista.


O filme caiu como um presente nas mãosdo diretor, justamente porque os autores do livro D'Entre les Morts, Pierre Boileau e Thomas Narcejac, escreveram especialmente para que virasse uma obra cinematográfica de Hitchcock. Porém, o roteiro final, escrito por Samuel A. Taylor, foi baseado nos relatos do diretor sobre o livro, sendo que Taylor não tomou conhecimento do primeiro tratamento e nem do livro.

E assim deu-se inicio às vertigens.

Scottie é um detetive que possui uma fobia bastante comum; o medo de altura. Logo, retratar a sensação de vertigem sofrida pelo personagem seria essencial para o desenvolvimento da história. Então, como fazer isso? O diretor criou um efeito que atualmente pode ser chamado de Dolly Out, Vertigo Effect ou Hitchcock Effect.

Esse tipo de efeito é realizado com a própria câmera. O zoom da câmera é usado pra aproximar a imagem que está em primeiro plano (no caso o chão) e ao mesmo tempo, o equipamento é puxado para trás. O efeito só fica bom quando o movimento de zoom e o deslocamento da câmera são feitos na mesma velocidade. Como resultado a imagem provoca a sensação de aproximação do fundo, dando ao público a mesma sensação de vertigem que sofre o personagem, que, diga-se de passagem, é agonizante.

A criação desse efeito, além de ser mais uma revolução na linguagem cinematográfica, gerou um custo a mais de 19 mil.

As cores são muito bem utilizadas. Em algumas cenas mudam constantemente em sincronia com a trilha sonora, aumentando o suspense ou a sensação de medo. A cor da roupa de Kim, no entanto, foi apenas para destacar o quão era estranho uma mulher loira se vestir totalmente de cinza, uma cor associada à tristeza e à depressão.

Por muitas décadas o filme esteve inacessível ao público. Isso ocorreu porque o diretor comprou os direitos de cinco de seus filmes deixando-os para sua filha. Conhecidos como "os cinco filmes perdidos de Hitchcock” foram relançados no cinema em 1984. Dentre eles estão Festim Diabólico (1948), Janela Indiscreta (1954), O Homem Que Sabia Demais (1956) e O Terceiro Tiro (1955).

Prêmios

Oscar 1959 (EUA)

Indicado: Melhor Som e Melhor Direção de Arte.

Festival de Cinema de São Sebastian 1958 (Espanha)


Vencedor: Melhor Diretor (Alfred Hitchcock) e Melhor Ator (James Stewart)


0 comentários:

Postar um comentário

Siga por E-mail

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.