quinta-feira, 25 de abril de 2013

Cinema Paradiso



Por Ananda Oliveira


Nome Original: Cinema Paradiso
Ano:1988
Diretor: Giusseppe Tornatore
Elenco:
Philippe Noiret .... Alfredo
Jacques Perrin .... Salvatore (adulto)
Salvatore Cascio .... Salvatore (criança)
Marco Leonardi .... Salvatore (adolescente)
Agnese Nano .... Elena (adolescente)
Leopoldo Trieste .... Padre Adelfio
Enzo Cannavale .... Spaccafico
Isa Danieli .... Anna
Leo Gullotta .... Usher
Pupella Maggio .... Maria (idosa)
Roberta Lina .... Lia

Sinopse: Salvatore Di Vita é um cineasta bem-sucedido que vive em Roma. Um dia ele recebe um telefonema de sua mãe avisando que Alfredo está morto. A menção deste nome traz lembranças de sua infância e, principalmente, do Cinema Paradiso, para onde Salvatore, então chamado de Totó, fugia sempre que podia, depois que terminava a missa.



Salvatore recebe um telefonema dizendo que um grande amigo havia falecido. A partir daí a história é contada em flashback mostrando a relação de Salvatore (na época chamado de Totó) com o projetista do Cinema Paradiso (Alfredo), da sua infância ao momento que decide deixar a cidade. A princípio o pequeno Totó ia ao cinema simplesmente por diversão, mas aos poucos ele vai conhecendo Alfredo, e com ele vai aprendendo como que tudo funciona no Cinema Paradiso. 

No filme o diretor  queria reconstruir o que a sala de cinema costumava ser antigamente, "um lugar onde as pessoas costumavam conhecer uns aos outros, para passar o tempo juntos, sorrir e sonhar, eu queria dar uma homenagem carinhosa aos guardiães do cinema, e para o projetistas - estes pioneiros que nos permitem conhecer a sétima arte, e contribuíram para a formação cultural de gerações inteiras." - Diz Giussepe em entrevista ao site da revista Empire.


O processo de criação da trilha sonora começava a ser desenvolvido ao mesmo tempo que o roteiro começa a ser escrito. O diretor explicava para Ennio o que a cena passava de dramaticidade, e ele traduzia a explicação para a música . A trilha sonora composta por Ennio Morricone se funde com o filme transmitindo uma sensibilidade, que muitas vezes, pode escorrer pelos olhos do espectador. Ennio e Giusseppe já tinham trabalhado juntos em outros filmes. 

É impossível não se emocionar na cena em que passa o Totó, já adulto, vendo as cenas de beijo e nudez, que na época foram cortas pelo padre da cidade. Assistindo o filme você consegue sentir o amor, a  vivência que um espectador sente ao ver um filme no cinema.

Esse filme foi feito para todos os amantes de cinema.


Curiosidade: 

Oscar(EUA) - Venceu na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Globo de Ouro (EUA) - Venceu na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Festival de Cannes (França) - Recebeu o Grande Prêmio do Júri.

Palma de Ouro - Indicado

Prêmio César (França) - Ganhou o prêmio de Melhor Poster.
                                         -  Indicado na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Academia Japonesa de Cinema (Japão) - Indicado na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

Prêmio David di Donatello (Itália) - Venceu na categoria de Melhor Música (Ennio Morricone).

BAFTA (Reino Unido) - Venceu nas categorias de Melhor Ator (Philippe Noiret), Melhor Ator Ator Coadjuvante (Salvatore Cascio), Melhor Filme em Língua Não Inglesa, Melhor Trilha Sonora Original e Melhor Roteiro Original.
                                       -  Indicado nas categorias de Melhor Fotografia, Melhor Figurino, Melhor Diretor, Melhor Edição, Melhor Maquiagem e Melhor Direção de Arte.



Ficaram curiosos? Assistiram o filme? Comentem.

  Um comentário:

  1. Todo fã de cinema tem que vê esse filme, simples e lindo com uma visão linda do amor com todo seu descobrimento.Mostra que a amizade vai além da idade.

    ResponderExcluir

Siga por E-mail

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.