quinta-feira, 28 de agosto de 2014

5 Mães famosas do cinema



Algumas boas e outras nem tanto, a verdade é que Hollywood sempre teve uma atenção especial com nossas progenitoras.

Por João Pedro Rodrigues

Talvez contenha Spoilers

(...)

 Michaela Odone, O Óleo de Lorenzo (Lorenzo’s Oil – 1992)



Baseada em uma personalidade real, Susan Sarandon dá um show, como sempre, interpretando uma corajosa mãe, que não aceita a notícia de que seu filho tem pouco tempo de vida, por causa de uma doença degenerativa (ADL) e, junto com seu marido, fazem o possível e o impossível para reverter este quadro.

Leigh Anne Tuohy, Um Sonho Possível (The Blind Side – 2008)


Também baseada em uma personalidade real, Sandra Bullock interpreta uma Designer e socialite, que acolhe Michael Orhell - ou “Big Mike”. Vindo de um subúrbio pobre e filho de viciados, Michael não teria um futuro otimista, mas sua vida foi mudada por Leigh Anne e sua família, que o acolheram e lhe deram um lar. Michael viria a se tornar jogador de futebol americano pelo Tennessee Titans, da National Football League. 
O papel rendeu a Sandra Bullock o Oscar de melhor atriz.

Erin Brockovich, Erin Brockovich - Uma Mulher de Talento (Erin Brokovich - 2000)


Outra “Baseada em fatos reais”, aqui Julia Roberts interpreta uma personagem bem diferente de sua “Linda Mulher”, mas que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz em 2000. Erin Brokovich é uma mulher comum, mãe de três filhos e divorciada, que trabalha num pequeno escritório de advocacia. Ao descobrir que a água de sua pequena cidade está sendo contaminada, Erin faz uso de sua coragem e de todas as suas qualidades naturais, para convencer a população a cooperar com um processo milionário contra a companhia de água local.

Pamela Voorhees, Sexta-Feira 13 (Friday The 13th – 1980)


Mais conhecida por ser mãe de um dos maiores serial Killers do cinema, a Mamãe Voorhees já cometia seus assassinatos, antes de seu filho Jason dar as caras. Motivada por um sentimento de vingança pela morte de seu filho, supostamente afogado em um lago de um acampamento de férias, por negligência dos monitores, Pamela faz de tudo para tentar manter o local fechado, inclusive matar boa parte do elenco.

Norma Bates, Psicose (Psycho – 1960)


Do clássico de Hitchcock, adaptado do romance de Robert Bloch, esta é mais uma mãe criadora de psicopatas. Norma Bates exercia um grande domínio sobre seu filho Norman, dono de um pequeno Motel à beira de estrada. Sua manipulação continuou mesmo depois de morta, Norman viria a desenvolver dupla personalidade e incorporaria sua finada mãe, uma personalidade assassina e furiosa (e que renderia uma das cenas de assassinato mais famosas do cinema).



0 comentários:

Postar um comentário

Siga por E-mail

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.