sábado, 25 de outubro de 2014

Óperas que viraram filmes



Quando a música e o teatro se conheceram se formou a ópera. Veja essa lista de óperas ou músicas que viraram filmes.


                                                                                    Por João Trettel


Tommy, Dir: Ken Russel, 1975 


Tommy é inspirado na fantástica opera rock do “The Who”. O filme conta a história de Tommy (Roger Daltrey), um garoto atormentado por sua mãe e seu padrasto. Por causa de um trauma ele fica surdo, cego e mudo. Já na fase adulta da sua vida ele vira campeão de pinball e fica curado de suas deficiências e, como consequência, vira um messias para o mundo.
O filme conta com a participação de vários músicos como Eric “god” Clapton, Tina Turner e Elton John. Um disco e filme imperdíveis.

Across the Universe, Dir: Julie Taymor, 2007



O filme saiu diretamente dos palcos da Broadway para o cinema. Inspirado nas músicas dos Beatles, serve como roteiro da história de alguns jovens de Nova York nos anos 60. Com a bela interpretação de Jim Sturgess, Evan Rachel Wood e Joe Anderson, as canções tem vida própria e podemos ver como a beleza da direção de Julie Taymor toma forma ao longo do filme. Os efeitos especiais são um show a parte e transformam o filme numa verdadeira obra-prima, tal como a carreira dos quatro garotos de Liverpool.

O Fantasma da Ópera, Dir: Joel Schumacher, 2004



Filmagem de uma das peças de maior sucesso da Broadway, com composições de Andrew Lloyd Webber, inspirada no livro que rendeu dezenas de versões anteriores. Um gênio da música desfigurado, se esconde nos bastidores do teatro de Paris. Encanta-se por uma jovem, a quem decide ajudar anonimamente. Mas ela tem outro amor. As lindas canções empolgam.

Chicago, Dir: Rob Marshall, 2002


Surpreendeu por ganhar o Oscar de melhor filme, mas tem suas qualidades. Baseado numa peça de sucesso, mostra a rivalidade entre duas artistas de vaudeville dos anos 20, que acabam na prisão, acusadas cada uma de um assassinato. Catherine Zeta-Jones e Renée Zellweger estão ótimas.

Os Miseráveis, Dir: Tom Hooper, 2012 


Este filme é a melhor adaptação de musicais da Broadway já feitas para o cinema; mas isso não faz dele uma obra-prima. Os musicais são shows onde as canções eventualmente constroem uma história ou um mero fio narrativo. A peça dilui a obra de Victor Hugo para privilegiar a grandiloquência. E no cinema isso aparece muito mais. Mesmo assim, Hopper faz um belo trabalho com alguns momentos especialmente brilhantes, quando aproveita a linguagem cinematográfica para fazer close-ups ou grandes panorâmicas. É um filme feito para grandes salas de cinema, com som perfeito, buscando transferir um pouco da magia do teatro para o espectador. O elenco é todo excelente, com destaque óbvio para a sofrida presença de Anne Hatthaway. Dentro de suas limitações é um grande filme.

0 comentários:

Postar um comentário

Siga por E-mail

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.