segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Pocahontas



Por Ananda Oliveira

Tenho certeza que ao ler o título, você pensou que veria uma matéria sobre o filme da Disney. Não inteiramente. O meu objetivo será apresentar a vocês, alguns fatos sobre a história de uma mulher forte e honrada. Matoaka. Na verdade, Pocahontas era um apelido, que significa: criança mimada. 


História

·         John Smith

Na animação da disney, john smith foi retratado como seu verdadeiro e único amor.

Na verdade o primeiro encontro de Pocahontas com John Smith foi menos agradável. O inglês iria ser executado por seu pai, pois ele era um dos líderes colonos e foi raptado pelos caçadores de Powhatans, mas ela interviu alegando que, a morte do inglês atrairia a fúria dos colonos, e assim a vida de Smith foi salva. Na época, a índia tinha apenas onze anos de idade e Smith já estava na meia idade.


Esse acontecimento instaurou a paz entres os Powhatans e os colonos. Smith e Pocahontas eram próximos, mas nunca se apaixonaram, obviamente pela diferença de idade. Smith ensinou a índia a língua e os costumes de seu povo.

·         John Rolfe

Este é o segundo marido de Pocahontas. A índia havia casado com Kocoum, mas John Rolfe, um homem viúvo de esposa e filha, se apaixonou perdidamente pela moça. Ele escreveu uma carta para o governador, pedindo permissão para se casar com a jovem.  Na época ela tinha dezessete anos e havia sido presa pelos colonos.

A união de Rolfe e Pocahontas favoreceu o clima de paz, entre os índios e os colonos e também gerou um herdeiro: Thomas Rolfe.

A família Rolfe estava na Inglaterra, e decidiu voltar para a Virginia, Pocahontas ficou doente, mas ela teve de retornar à Inglaterra. Ela morreu e depois foi enterrada na paróquia de São Jorge em Gravesend, onde foi erguida uma estátua em sua homenagem.


A tribo Powhatans foi totalmente dizimada pelos colonos que tomaram suas terras. Não se sabe o real momento, seja ele antes ou depois da morte de Pocahontas.

Filme



A história de Pocahontas é muito incerta, há várias lendas e outras histórias sobre esta personagem. Ela foi uma mulher forte que passou por todo sofrimento da colonização, embora tenha sempre tentado manter a paz entre ambos.

O produtor da Animação disse, que pelo fato de sua história ser tão incerta e ter várias versões, eles (Disney) se sentiram livres, para que pudessem criar uma história emocionante. E que História!

O romance segue, com um conflito que lembra Romeu e Julieta, mas ao invés de famílias rivais, são povos distintos em absolutamente tudo, desde a cultura ao comportamento.

O filme é repleto de canções belíssimas, como a mais famosa: "As cores do vento". Essa música representa o amor, que Pocahontas tem pela sua vida perto da natureza e que não existe diferença entre as cores da pele. 


A música "No Compasso do Tambor", onde os índios cantam: “este canto é uma oração, feita pra nos proteger, do que nos fornece o chão, só nos resta agradecer”.


Os colonos também têm as suas canções, entre elas: Meu! Meu! Meu! - que fala sobre a ganância, a busca pela fama e paralelamente o desejo de domar uma terra selvagem e bela.


A música: “Bárbaros” mostra o quão indignado, os colonos e os índios estão, por terem um intruso em sua terra, eles se acham tão diferentes e são tão iguais.

Pocahontas não é só um filme que deve ser visto. Ela fez parte da história e deve ser lembrada.


0 comentários:

Postar um comentário

Siga por E-mail

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.