terça-feira, 23 de setembro de 2014

Especial: O Poderoso Chefão



Por Ananda Oliveira

Titulo Original: The Godfather
Ano: 1972
Diretor: Francis Ford Coppola
Elenco:
Marlon Brando ... Don Vito Corleone
Al Pacino ... Michael Corleone
James Caan ... Santino "Sonny" Corleone
Robert Duvall ... Tom Hagen
Diane Keaton ... Kay Adams
Richard S. Castellano ... Peter Clemenza
John Cazale ... Frederico "Fredo" Corleone
Talia Shire ... Constanzia "Connie" Corleone
Abe Vigoda ... Salvatore "Sal" Tessio
Al Lettieri... Virgil "O Turco" Sollozzo
Gianni Russo... Carlo Rizzi
Sterling Hayden               ...Capitão McCluskey
Lenny Montana               ...Luca Brasi
Richard Conte ... Emilio Barzini
Al Martino ... Johnny Fontane
John Marley ... Jack Woltz
Alex Rocco ... Moe Greene
Morgana King ... Carmela Corleone
Johnny Martino               ...Paulie Gatto
Victor Rendina ... Philip Tattaglia
Simonetta Stefanelli ... Apollonia Vitelli-Corleone
Louis Guss ... Don Zaluchi
Tom Rosqui... Rocco Lampone
Joe Spinell... Willi Cicci
Richard Bright... Al Neri

Sinopse: Descendente de uma poderosíssima família de mafiosos, Michael, em princípio, renega os negócios da máfia e tenta construir uma carreira militar. Premido pela tentativa de assassinato de seu pai, Don Vito Corleone , por outra família mafiosa.



Produção

Coppola e a Paramount

Coppola não foi a primeira escolha para a direção. O filme foi oferecido para Sergio Leone, Peter Bogdanovich e Costa-Gavras. Em princípio, Coppola não tinha interesse em dirigir o filme. Por retratar violência e máfia de forma glorificada, o que mancharia seus antepassados sicilianos.

Enfim acabou aceitando por dois motivos: primeiro, ele achou que o filme podia ser retratado como uma metáfora para o capitalismo americano. Segundo, Ele estava em dívida com a Warner Bros por conta de estouro de orçamento do filme THX 1138 de George Lucas, o mesmo o convenceu a aceitar a direção.

Por alguns momentos, Coppola quase perdeu sua posição de diretor, porque os produtores estavam preocupados com os gastos excessivos e o medo de que ele não cumprisse o cronograma.

Se isso já não era pressão suficiente, o estúdio da Paramount fez questão de aumentar mais um pouco, pois o estúdio estava com problemas financeiros e estava a procura de um “grande sucesso”. O estúdio queria que o filme atraísse o grande público. Por conta disso o diretor colocou mais cenas de violência para agradar o estúdio, como por exemplo: a cena em que Connie quebra os pratos de sua casa após descobrir que seu marido a está traindo.

Escolha do elenco


As escolhas de Coppola para o elenco não agradaram os executivos da Paramount. Eles não queriam Marlon Brando como Vito Corleone, mas o aceitaram por um acordo: o ator teria que fazer um teste, receber um salário menor, e prometer não causar atrasos na produção. Dito e feito. O ator venceu o Oscar e se recusou aceitá-lo.

O estúdio queria Robert Redford ou Ryan O'Neal como Michael Corleone. No entanto, Coppola insistiu para que fosse Al Pacino, que na época fizera apenas 2filmes e não era conhecido. Atores como: Jack Nicholson, Dustin Hoffman, Warren Beatty, Martin Sheen, James Caan e um ator desconhecido chamado Robert De Niro, fizeram testes para o papel. Quando Coppola ameaçou sair da direção, Pacino recebeu o papel.

Para o papel de Tom Hagen foram considerados Bruce Dern, Paul Newman e Steve McQueen.  O papel ficou com Robert Duvall. Acreditem ou não, mas Sylvester Stallone fez testes para Carlo Rizzi e Paulie Gatto.  Anthony Perkins fez teste para Sonny.  Além do teste para Michael, De Niro também fez teste para Sonny, Carlo e Paulie.  Mais tarde, ele foi contratado para interpretar o jovem Vito Corleone em, O Poderoso Chefão: Part II, que lhe rendeu um Oscar de melhor ator coadjuvante.

O filme não se trata apenas de família em frente às câmeras, mas também por trás delas. O pai de Coppola compôs músicas adicionais e apareceu no filme tocando um piano.  Sua mãe foi figurante. Sua irmã interpretou Connie Corleone. Sua filha interpretou o filho recém-nascido de Connie e Carlo e seus filhos fizeram os filhos de Tom Hagen. 


O Poderoso Chefão – Parte II (1974)


O primeiro filme tem um final redondo, não pedindo uma continuação. Nesse filme nós vemos Michael no controle da família e tentando expandir o seu império, adentrando o espectador no mundo da máfia de uma forma didática.

Paralelamente, o espectador acompanha numa biografia de Vito Andolini, o Don Vito Corleone. Podemos ver um pouco sobre sua infância e a mocidade ,e o fato que ocasionou sua ida à America (sua família foi morta pela máfia local). Acompanhamos o seu crescer desde quando era um pobre trabalhador até se tornar o poderoso chefão do título. Sem dúvida, são as melhores partes do filme.

A Preparação

Para interpretar Vito Corleone, Robert De Niro viveu um tempo na Sicília. Como resultado, no filme ele costuma falar mais italiano do que o próprio Inglês. 

O Poderoso Chefão – Parte III (1990)


O último filme é totalmente voltado para Michael. Ele quer legalizar os trabalhos da família, o seu temperamento está menos explosivo, como foi observado no filme anterior. Atormentado pela morte de seu irmão Fredo (a pedido do próprio Michael), o sentimento de culpa lhe desencadeou uma crise de diabetes e também o faz buscar arrependimento ao se confessar com o Papa. 

Esse último filme tem um bom final para o arco de história de Michael, porém é um filme muito arrastado e não agrada a muitos fãs da trilogia.

Prêmios da Trilogia

O Poderoso Chefão

OSCAR
Vencedor:
Melhor Filme, Melhor Ator - Marlon Brando
Melhor Roteiro Adaptado - Mario Puzo e Francis Ford Coppola.
Indicado:
Melhor Diretor - Francis Ford Coppola
Melhor Ator Coadjuvante - James Caan
Melhor Ator Coadjuvante - Robert Duvall
Melhor Ator Coadjuvante - Al Pacino
Melhor Figurino, Melhor Edição, Melhor Música Original, Melhor Som.

BAFTA
Vencedor: Prêmio Anthony Asquith de Música do Filme
Indicado: Melhor Ator - Marlon Brando, Melhor Ator Coadjuvante - Robert Duvall, Ator Promissor para Protagonista de Filme - Al Pacino, Melhor Figurino

GLOBO DE OURO
Vencedor:
Melhor Filme – Drama - Melhor Diretor - Francis Ford Coppola
Melhor Ator - Drama - Marlon Brando
Melhor Música original, Melhor Roteiro - Mario Puzo e Francis Ford Coppola
Indicado:
Melhor Ator Coadjuvante - Drama - Al Pacino
Melhor Ator Coadjuvante - James Caan.

O Poderoso Chefão – Parte II

OSCAR
Vencedor:
Melhor Filme, Melhor Diretor - Francis Ford Coppola
Melhor Ator Coadjuvante - Robert De Niro
Melhor Roteiro Adaptado - Francis Ford Coppola e Mario Puzo
Melhor Direção de Arte
Melhor Música Original.
Indicado:
Melhor Ator - Al Pacino
Melhor Ator Coadjuvante - Michael V. Gazzo
Melhor Ator Coadjuvante - Lee Strasberg
Melhor Atriz Coadjuvante - Talia Shire
Melhor Figurino.

BAFTA
Vencedor:
Melhor Ator - Al Pacino
Indicado:
Prêmio Anthony Asquith de Música de Filme, Melhor Edição, Ator Mais Promissor - Robert De Niro.

GLOBO DE OURO
Indicado:
Melhor Filme – Drama- Melhor Diretor - Francis Ford Coppola
Melhor Ator - Drama - Al Pacino
Melhor Roteiro - Francis Ford Coppola e Mario Puzo
Melhor Música Original
Ator Mais Promissor - Lee Strasberg.


O Poderoso Chefão – Parte III

OSCAR
Indicado:
Melhor Filme, Melhor Diretor - Francis Ford Coppola
Melhor Ator Coadjuvante - Andy Garcia
Melhor Canção ("Promise me you'll remember")
Melhor Montagem
Melhor Direção de Arte
Melhor Fotografia.

GLOBO DE OURO
Indicado:
Melhor Filme – Drama - Melhor Diretor - Francis Ford Coppola
Melhor Ator - Drama - Al Pacino
Melhor Ator Coadjuvante - Andy Garcia
Melhor Roteiro
Melhor Trilha Sonora

Melhor Canção ("Promise me you'll remember").


Quer ganhar um box da trilogia? Clique aqui e saiba como.

0 comentários:

Postar um comentário

Siga por E-mail

Total de visualizações

Tecnologia do Blogger.